Seja bem-vindo! Hoje é

Encontro de Integração Dias de História discutirá caminhos da pesquisa ao ensino


O curso de História da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) estará promovendo o I Encontro de Integração Dias de História, cuja abordagem destaca o tema: “As Faces da História: caminhos da pesquisa ao ensino”, entre os dias 21 e 23 de setembro de 2011, na Unidade II, no auditório da Agronomia.

O evento tem como objetivo promover a discussão e integração entre professores e graduandos de História, possibilitando, deste modo, a compreensão do percurso da pesquisa e do ensino.

As inscrições do evento serão realizadas entre os dias 12 e 19 de setembro, juntamente com os alunos do 6º semestre no bloco B unidade II, com uma taxa de R$5,00.



Fonte:ufgd.edu.br

Rede de Saberes ganha destaque nos jornais de MS


..Por Caroline Maldonado - 2011-09-08

Com a divulgação do IV Seminário Povos Indígenas e Sustentabilidade e outros eventos realizados no primeiro semestre deste ano, os acadêmicos indígenas do projeto Rede de Saberes ganharam destaque em telejornais e jornais on-line de Mato Grosso do Sul. A presença indígena nas universidades também chamou a atenção de produtores de programas de rádio, blogueiros e sites que tratam de temas diversos, como educação, diversidade, cultura, entre outros.

Nas entrevistas concedidas os acadêmicos aproveitaram para falar de suas experiências nas universidades e destacar que necessitam de uma política pública que lhes dê suporte para permanência no ensino superior. No período de Junho, Julho e Agosto, as ações do Rede de Saberes pautaram 156 textos na Internet. Nos jornais on-line, entre eles os de maior acesso na capital, foram veiculadas 66 matérias que citam o projeto.

Veja a entrevista do coordenador do Rede de Saberes, Antonio Brand, ao programa Estúdio Livre da TV UCDB em http://www.estudiolivre.tv.br/#0. Em breve as matérias produzidas pela TV Campo Grande e TV Pantanal estarão no You Tube, no canal NeppiUCDB.



Rede de Saberes nas redes sociais

Por meio do Facebook, 116 membros, parentes de todo Brasil, acompanham todos os dias as novidades dos acadêmicos indígenas de MS no grupo Rede de Saberes. Outro jeito de ficar por dentro é seguir no Twitter o @rededesaberes.


Fonte:neppi.org

Índios são proibidos de falar guarani em escola de Campo Grande



Três índios denunciaram que foram proibidos de falar o guarani nas dependências da escola municipal Nerone Maiolino, onde cursam o EJA (Educação de Jovens e Adultos).

Os guarani-caiuá também foram obrigados a assinar um documento acatando a determinação. Um dos alunos é Laucídio Nelso. “Ele não sabia ler nem escrever e decidiu estudar”, conta Leda Rodrigues, esposa de Laucídio. O casal mora na aldeia Água Bonita, em Campo Grande.

A situação foi denunciada ao deputado estadual Pedro Kemp (PT). O parlamentar vai pedir explicações à secretaria municipal de Educação. “Os índios têm direito de falar a língua deles”, afirmou Kemp durante sessão na Assembleia Legislativa.

Conforme a Constituição Federal, “são reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo à União demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens”.

A reportagem entrou em contato com a escola Nerone Maiolino, mas a diretora estava em reunião.


FONTE: fatimanews.com.br

Povos Indígenas no Brasil



Trabalhos interessantes de Rosa Galdino que procuram mostrar em belas fotos os diferentes povos indígenas brasileiros.

Pena que também nos revelem a realidade de nosso índios.

Já aculturados e sem a inocência de suas origens, mostram que a vergonha da nudez é o resultado direto da erotização transmitida pelos modernos meios de comunicação.

É estranho ver fotos das meninas portando adornos ancestrais, conjugados com bijuterias baratas.

Vendo estas fotos, me lembrei da indignação que sinto cada vez que ouço falar na construção de usinas hidrelétricas em suas terras, que não são só suas e sim de toda a humanidade, que devem ser preservadas, tendo-os como guardiões.

É impossível ver esta exposição sem lembrar de Caetano cantando "Um Índio".

Um Índio - Caetano Veloso

Abaixo das fotos o "press-release", fornecidos pela assessoria de imprensa da Caixa Cultural.





SÃO PAULO APRESENTA

“POVOS INDÍGENAS NO BRASIL”

Com fotos de Rosa Gauditano, documentários xavantes e palestra, a mostra retrata 34 das mais de 225 culturas indígenas no país

“As pessoas não respeitam o que não conhecem”. A frase é do ancião Sereburã Xavante e motiva o projeto Povos Indígenas no Brasil. A exposição é fruto do trabalho da fotógrafa Rosa Gauditano que, nos últimos 20 anos, dedica-se a registrar a multiplicidade de etnias indígenas no país. Após passar pela CAIXA Cultural Brasília, a exposição abre no sábado (19/03), às 11hs e recebe visitantes até o dia 15 de maio de 2011, na CAIXA Cultural São Paulo (Sé).

A mostra é composta por 60 fotos coloridas, material documentado pela fotógrafa Rosa Gauditano, no período de 1989 a 2010, e dividida em quatro grandes grupos, separados por região geográfica: Norte, com 14 povos; Nordeste, com 5; Sudeste, com 5 e Centro-Oeste, com 10 povos.

Entre os povos apresentados nesta exposição, estão desde aqueles com os quais se tem pouquíssimo contato, como os Mati ou Zoró, que vivem quase isolados na Amazônia, até indígenas que ocupam suas terras localizadas perto de pequenas cidades, como os Xavante, no Mato Grosso; os que vivem na beira de rodovias, como os Guarani Kaiowá, no Mato Grosso do Sul, ou nas grandes cidades, como é o caso dos Pankararu, em São Paulo.




No Brasil existem, hoje, cerca de 230 povos indígenas, distribuídos em todos os estados, totalizando quase 734 mil pessoas, que falam 180 línguas diferentes.

Além da projeção de dois documentários produzidos pelos índios xavantes, com produção executiva de Rosa gauditano, diretora da Associação Nossa Tribo (www.nossatribo.org.br) o visitante poderá ver também o mapa dos povos indígenas no Brasil.

Palestra

O projeto integra ainda a palestra da professora Jaciara Martim. Indígena Guarani M’Byá, Jaciara é formada em serviço social pela PUC – São Paulo. Seu trabalho de conclusão de curso versou sobre o tema: “Considerações sobre o trabalho para o povo guarani e as decorrências do seu contato com a sociedade capitalista.” Sua trajetória inclui experiência como professora estadual e agente de saneamento pelo Projeto Rondon. O encontro, com entrada franca, acontece no dia 12 de abril de 2011 (terça-feira), às 19hs, na CAIXA Cultural São Paulo (Sé).

Rosa Gauditano

Premiada por seus trabalhos com fotojornalismo na década de 1980 (Folha de SP e Veja), Rosa Gauditano especializou-se em fotografia etnográfica. Seus trabalhos ligados às culturas indígenas no Brasil lhe renderam a publicação de 5 livros: "Aldeias Guarani M'Bya na Cidade de São Paulo", 2006; “Raízes do Povo Xavante”, Ed. Studio R, São Paulo, 2003; “Festas de Fé", Ed. Metalivros, São Paulo, 2003; “Saltillo”, Instituto Municipal de Saltillo, México, 2001; “Índios, os Primeiros Habitantes”, Ed. Fotograma, 1998.

Diretora da Studio R, agência que se dedica a reportagens, arquivo e projetos culturais ligados a fotografia e trabalhos etnográficos, Rosa Gauditano tem no currículo diversas exposições individuais. No Brasil, em parceria com a CAIXA Cultural, Rosa expôs em 1999/2000 nas cidades de São Paulo, Curitiba e Brasília a mostra “Raízes do Povo Xavante”. Além de outros projetos pelo país, principalmente na capital paulista, a fotógrafa já expôs em Londres/Inglaterra (2010), Houston/EUA (2005), Cidade do México/México e Santiago/Chile.

Ficha Técnica

Fotografia e curadoria: Rosa Gauditano

Antropóloga: Camila Gauditano

Design gráfico: Isabel Carballo

Textos críticos: Angela Magalhães e Nadja Peregrino

Palestrante: Jaciara Martim (indígena Guarani M’Byá)

Patrocínio: Caixa Econômica Federal

Informações e entrevistas:

· Monica - exposicaopovosindigenas@gmail.com

SERVIÇO:

Exposição “Povos Indígenas no Brasil” – Fotos de Rosa Gauditano

Abertura para convidados e imprensa: 19 de março de 2011, às 11h

Visitação: de 19 de março a 15 de maio de 2011

Horário de visitação: de terça-feira a domingo, das 9h às 21h.

Local: CAIXA Cultural São Paulo (Sé) - Galeria Humberto Betetto- Praça da Sé, 111 – Centro – São Paulo/SP

Informações, agendamento de visitas mediadas e translado (ônibus) para escolas públicas: (11) 3321-4400

Classificação etária: livre

Entrada franca

Acesso para portadores de necessidades especiais

Patrocínio: Caixa Econômica Federal

Palestra com Jaciara Martim

Data: 12/04/2011

Horário: 19h

Local: CAIXA Cultural de São Paulo, Praça da Sé, 111 – São Paulo – SP

Informações: (11) 3321-4400

FONTE:macariocampos.blogspot.com