Seja bem-vindo! Hoje é

Congresso debate saúde bucal indígena em Campo Grande

A saúde bucal indígena estará em discussão no Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, em Campo Grande, nos dias 29, 30 e 31 de outubro, durante o 2° Congresso Internacional de Odontologia de Mato Grosso do Sul, que tem como tema “Odontologia para todos: uma questão de cidadania”.

No primeiro dia do evento, às 8h30, será realizada a 1ª Mostra Estadual de Odontologia. A Fundação Nacional de Saúde (Funasa) apresentará experiências exitosas na área odontológica para os povos indígenas, com os sequintes temas: Módulo de saúde bucal – uma ferramenta estratégica de informação da atenção à saúde indígena (André Luiz Martins); Técnica de arte e sua aplicação clínica em aldeias indígenas (Cassiano Cappellesso); A importância da prevenção de saúde bucal em crianças indígenas entre seis meses e cinco anos de idade na Aldeia Buriti (Fabiana M. Freitas Escudero); A integração da equipe de saúde indígena no acompanhamento dos pacientes diabéticos das aldeias Argola e Moreira, do município de Miranda (Cynthia S. Naito Costa); e Avaliação da prevalência de cárie dentária entre escolares indígenas da Escola Municipal Indígena Araporã, de Dourados (Fernando Lamers).

Em Mato Grosso do Sul, a Funasa conta com um Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) dividido em 15 pólos-bases em municípios estratégicos e três Casas de Apoio à Saúde dos Povos Indígenas (Casai). O órgão atende 68.792 indígenas em 74 aldeias das etnias guarani, kaiowá, terena, kadiwéu, kinikinaw, guató, ofaié e atikum. Os pólos-bases estão estruturados como unidades básicas de saúde e contam com uma equipe multidisciplinar de saúde indígena, composta principalmente por médico, enfermeiro, dentista e auxiliar de enfermagem, que desenvolvem, entre outros trabalhos, o Programa de Saúde Bucal.

Biossegurança

Simultaneamente à Mostra, a partir das 8h30, a bióloga e mestre em Saúde Coletiva Liliana Junqueira de Paiva Donatelli ministrará a palestra Saúde Bucal Indígena: biossegurança em odontologia. Já no sábado (31), às 8h30, ela abordará o tema Biossegurança em Odontologia: uma questão de saúde e ética.

Segundo a bióloga, os dentistas devem estar permanentemente atentos à biossegurança – conjunto de procedimentos adaptados no consultório com o objetivo de dar proteção e segurança ao paciente, ao profissional e a sua equipe. “É preciso lembrar que existem riscos inerentes à atividade odontológica, riscos biológicos, físicos, ergonômicos, químicos e de acidentes”, alerta.

Para Liliana, um dos erros mais comuns cometidos no dia a dia da profissão são os procedimentos isolados. “As atitudes devem ser coordenadas; além disso, existe também a banalização do risco e falta uma liderança, no sentido de comprometer a equipe como um todo, e um projeto de biossegurança”, analisa.

A bióloga defende a realização dos procedimentos de biossegurança inclusive nos atendimentos prestados em locais de difícil acesso. Entre os cuidados mais simples, mas fundamentais, Liliana aponta a utilização de equipamentos de proteção individual, como aventais, gorros, luvas e máscaras, e a esterilização dos instrumentais em autoclave (equipamento específico para o procedimento) a cada paciente.


Serviço
O 2º Congresso Internacional de Odontologia de Mato Grosso do Sul é uma realização da Associação Brasileira de Odontologia seção de MS (ABO/MS) em parceria com o Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso do Sul, o Conselho Federal de Odontologia, a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e o Sindicato dos Odontólogos de MS (SIOMS).
Outras informações sobre o evento e a programação completa estão disponíveis no site: www.cioms2009.com ou pelo telefone 67 3383-3842. Informações sobre o Programa de Saúde Bucal da Funasa podem ser obtidas pelo telefone 67 3325-4264.


FOnte: www.msnoticias.com.br

Nenhum comentário: