Seja bem-vindo! Hoje é

Nota de repúdio

Repudiamos veemente a entrevista do governador José de Anchieta Júnior aos meios de comunicação. Ao qual chama a Terra Indígena Raposa Serra do Sol de Zoológico e Índios de Animais. Essa forma racista da parte do senhor Governador é inconcebível e contraria ao principio do artigo 231, lei da Constituição Federal de 88 onde prevê a demarcação regularização das terras indígenas, e dá direito aos índios de se organizarem. O governador José de Anchieta Júnior chama os índios de desumano de forma pejorativo não se adequando com o slogan que usa’’TRABALHANDO PRA VALER TRABALHANDO PRA CRESCER’’, Não nos intimidamos com tal atitude tão antiquada e racista. Somos moradores, destas terras, antes mesmo de nossos antepassados serem contactados pelos primeiros brancos no território brasileiro.

Desde quando a sociedade branca adentrou no vale do rio branco chegando ao nosso território como invasores, nós os recebemos na Terra de Macunaima, apesar de tudo, tratam a população indígena com indiferença e preconceito. A forma preconceituosa do “indígena” do atual governador é uma herança “maldita” dos governantes anteriores que nunca atenderam as reivindicações das comunidades indígenas integralmente e sim com migalhas de forma assistencial.

Os índios, sim senhor governador, são “animais”, porém animais racionais, inteligentes que pensam antes de declarar algo contra alguém. Tal declaração atinge não apenas a população indigena da raposa serra do sol, mas todos os povos indígenas do estado nacional. Onde há indigenas, temos certeza que há desenvolvimento e preservação, o exemplo disso, contabilizando entre a pecuária que é de R$ 32.640.000 e a produção agrícola que é 73.600.000 sem contar com outra fonte de renda de R$ 14.219.540,00 com pagamento de agente indígenas de saúde, professores e aposentados que aquecem o comercio roraimense todos os meses. A exemplo disso tem também no estado de Roraima 206 escolas, 928 professores, 9.102 alunos.

A Terra indígena raposa Serra do Sol, ainda não é suficiente, pois o que estamos obtendo, é somente uma parte do que nos foi tomada brutalmente e aleatoriamente ao longo dos cinco séculos de invasão. Essa é uma conquista árdua exaustiva e sacrificada que a décadas vimos lutando e esperando.

O senhor governador do estado, que tome postura de homem público, pois o senhor como chefe de estado governa não apenas uma raça, cor, credo ou religião mais todo um povo com culturas e costumes diferenciadas e que devem ser respeitadas na forma da lei e eticamente.

Fonte:espiritoindio.com.br